História e Personagens

Situado no cruzamento da Europa, entre o Macico Central e os Alpes, à apenas 300km do Mar Mediterrâneo, Lyon soube tirar proveito da sua posição geográfica excepcional para construir 2000 anos de uma história fascinante. Hoje, Lyon se tornou a segunda metrópole francesa depois de Paris e a capital da região Rhône-Alpes. Permita que contemos para você a sorte extraordinária dessa magnífica cidade :

Lyon, Capital dos Gauleses sob o Império Romano :


No início chamada de Lugdunum, cujo o significado seria "a colina da luz" ou "a colina dos corvos", Lyon foi fundada no alto da colina de Fourvière em 43 a.C. por Munatius Plancus, um tenente de César. No começo sua função é apenas militar mas, por vontade imperial, Lyon se torna rapidamente a capital econômica, política e religiosa dos Trois Gaules. Um fórum, um teatro, um templo de Cibele e termas são construídos, e a cidade se estende a outros bairros, dentre eles a atual Croix-Rousse e a Presqu'île.

Lugdunum é também o berço do cristianismo em Gaule com Santa Blandina que foi mártir em 177 d.C. No final do século III, O Império Romano entra em declínio e Lugdunum se torna presa de invasões bárbaras que expulsam os habitantes da cidade alta. Lyon perde, então, o seu status de capital dos Trois Gaules e entra num período sombrio.

A Idade Média e o nascimento de uma cidade eclesiástica :

Foi necessário esperar mais de sete séculos para que Lugdunum se desenvolvesse novamente. Em 1079, sob o reinado do Papa Gregório VII, ela se torna a sede do Primat des Gaules. Esse novo status eclesiástico da cidade, a partir de então chamada de Lyon, dá-lhe vigor, autoridade e estabilidade.

Lyon constrói inúmeras pontes e edifícios religiosos como, em particular, a Catedral São João e as abadias de São Paulo e São Martin d’Ainay. O comércio e o artesanato se desenvolvem, especialmente nos setores alimentício e têxtil. Apesar desta nova prosperidade, a cidade continua de tamanho modesto e é preciso esperar o século XV e o Renascimento para que Lyon encontre o seu verdadeiro esplendor de outrora.


Do século XV ao esplendor do Renascimento (século XVI) :

Pouco a pouco Lyon se transforma num grande centro de comércio, principalmente com a criação de várias feiras anuais e o desenvolvimento dos bancos. No início do século XVI, a indústria da seda aparece sob o impulso de François I que procura reduzir as importações provenientes da Itália. Lyon se torna uma capital europeia importante e os artistas, os intelectuais e as elites em geral afluem de todas as partes para se estabelecer na cidade.

O século XVI dá a Lyon o bairro mais bonito do Renascimento francês, classificado como patrimônio mundial da UNESCO. O bairro do Vieux-Lyon abriga inúmeros palácios e tesouros arquiteturais, assim como os célebres "traboules", aquelas pequenas passagens secretas e cobertas que permitiam passar de uma rua à outra.

A prosperidade econômica e cultural de Lyon é desestabilizada pela Reforma Protestante e pelas guerras religiosas entre católicos e protestantes. Em 1572, a cidade é palco de massacres contra os huguenotes durante a noite de São Bartolomeu. Vários banqueiros e tipógrafos decidem migrar para Genebra ou Itália. Henri IV consegue acalmar a população celebrando o seu casamento com Marie de Médicis na Catedral São João e designando um intendente para a cidade.

Do século XVII à Revolução Francesa (1789) :

No século XVII, Lyon reencontrou a prosperidade graças à idade de ouro da seda e da indústria têxtil de roupas. Nessa época, a cidade possui a maior população operária da França e a indústria da seda lionesa veste os belos e decora os ricos interiores do mundo inteiro.

Lyon se dota de um hospital, magníficas praças e edifícios impressionantes como o Hôtel de Ville, o Hôtel-Dieu, etc. Arquitetos brilhantes como Germain Soufflot, Michel-Antoine Perrache e Morand procedem à modernização urbana de Lyon e concebem novos bairros.

As vésperas da Revolução, Lyon dá a sua contribuição à idade das luzes com progressos científicos como as descobertas do físico Ampère (1775 – 1836), o primeiro voo em balão dirigível ou ainda a abertura da primeira escola veterinária da Europa.

A Revolução Francesa vem colocar termo a este período de calma e prosperidade. De fato, a Convenção julga Lyon como monárquico demais e o risca do mapa declarando "Lyon n'est plus". Dá-se ordem para a destruição de vários prédios da Place Bellecour e mais de 2000 pessoas são fusiladas ou decapitadas.

O século XIX e a Revolução Industrial :

No início do século XIX, o próprio Napoleão ordena a reconstrução de todos os prédios demolidos durante a Revolução Francesa e faz da indústria da seda um elemento essencial da economia francesa.

Joseph Marie Jacquard revoluciona a indústria têxtil ao inventar o tear mecânico que substitui o trabalho de seis homens. Os operários precisam de mais espaço: os ateliês são, então, transferidos para os declives da Croix-Rousse. Em 1829, Barthélémy Thimonnier inventa a máquina de costura.

Em 1831, os Canuts (operários da seda) se revoltam pela primeira vez contra a recusa dos fabricantes de aplicar a tarifa mínima de preços de confecção: o movimento termina com um banho de sangue. Várias outras sublevações acontecem até 1870, data do declínio da indústria da seda, particularmente em razão da concorrência estrangeira, da industrialização e da invenção das fibras sintéticas.

Em 1862, Lyon inaugura o primeiro caminho de ferro urbano à tração funicular no mundo, entre Lyon e o bairro da Croix-Rousse.

Nos anos de 1870, Lyon participa da Revolução Industrial com o nascimento dos setores de química, farmácia, mecânica, com empresas de nomes célebres como Rhône-Poulenc, Berliet, Marcel Mérieux, etc.

Em 1895, os irmãos Lumière inventam o cinematógrafo e rodam o primeiro filme da história do cinema, "Sortie d'Usine" ("A Saída da Fábrica").

Ao longo do século XIX, Lyon prossegue o seu desenvolvimento com a construção de vários grandes edifícios como a Opéra, o Palais de justice, o Palais de la Bourse, a Basílica de Fourvière e a criação do parque urbano da Tête d'Or.

Do século XX aos nossos dias :

Ao longo da primeira metade do século XX, o prefeito de Lyon, Edouard Herriot, continua a remodelar a cidade com o objetivo de melhorar a qualidade de vida dos habitantes. Durante o seu mandato (1905-1957), vários prédios públicos são construídos sob a direção do arquiteto Tony Garnier (1869-1948): o Estádio de Gerland, o Hospital Grange Blanche, Les Halles, etc.

Durante a Segunda Guerra Mundial, Lyon se torna a capital da Resitência francesa dirigida por Jean Moulin. Em 1943, ele é preso e torturado na sede da Gestapo, onde se encontra atualmente o Museu da Resistência, na 14 avenue Berthelot.

Os anos de pós-guerra são marcados por uma corrida desenfreada pela modernidade com a construção de novas infra-estruturas de transporte (metrô, TGV, etc.) e um novo bairro de negócios chamado de Part-Dieu, que data de 1960.

Em 2000, o aeroporto de Satolas é rebatizado com o nome de St Exupéry em homenagem ao célebre escritor e aviador nascido em Lyon (1900-1944) - autor do "Pequeno Príncipe".

As últimas grandes realizações urbanas são a Cité International de Lyon com o Centro de Congresso, como também a restauração das margens do Rhône, transformadas em local de passeio. O próximo grande projeto urbano é a construção do bairro da Confluence, ao sul de Perrache, com um Museu de Ciências e Sociedades.

Hoje, Lyon é uma cidade conhecida por sua gastronomia, sua indústria, sua cultura e, acima de tudo, sua qualidade de vida
!

 
 

 

DIÁRIO DICAS TOURS

Public Tour

The Original Syrah

Annecy & Perouges

Beaujolais Golden Stones
Gourmet Escape

Lyon City Sights

Minibus Transfers

Voltar à Página Principal