• Kanpai
  • Kanpai
  • Kanpai
  • Kanpai
  • Kanpai
  • Kanpai
  • Kanpai
  • Kanpai
  • Kanpai
  • Kanpai
  • Kanpai
  • Kanpai
  • Kanpai
  • Kanpai
  • Kanpai
  • Kanpai
  • Kanpai
  • Kanpai
  • Kanpai


Mapa dos Vinhedos



Lyon é considerado como um dos melhores "pontos de partida" para visitar os vinhedos franceses, graças à sua posição central e sua proximidade com as Côtes du Rhône, o Beaujolais e a Bourgogne.

Cada região cultiva cepas diferentes com um savoir-faire que lhe é próprio. Assim os visitantes poderão, ao longo dos dias, variar tanto os prazeres da degustação como os encontros e as paisagens :

Bourgogne : Pinot Noir, Chardonnay e Aligoté

Situada ao norte de Lyon, a Bourgogne apresenta 4 áreas vitícolas distintas entre a cidade de Dijon e os vinhedos do Beaujolais.

Côte de Nuits :
situada entre Beaune e Dijon, este vinhedo é a pátria do legendário Pinot Noir. A Côte de Nuits possui 24 Grands Crus Classificados, todos em vinhos tintos. Os mais conhecidos são La Romanée-Conti, La Romanée, Clos Vougeot, Echezeaux, Grands Echezeaux, Chambertin, Chambertin-Clos, Musigny, etc. Os vinhedos da Côte de Nuits se estendem por 14 municípios, mas somente 10 produzem os vinhos classificados como Grand Cru: Gevrey Chambertin, Morey-Saint-Denis, Chambolle-Musigny, Vougeot, Flagey-Echezeaux, Vosne Romanée, Nuits-Saint-Gorges, Premeaux-Prissey, Comblanchien e Corgoloin.

Côte de Beaune :
situada à 150km ao norte de Lyon, entre Santenay e Beaune, este vinhedo é a terra de origem da cepa mítica Chardonnay. A Côte de Beaune faz nascer 7 Blanc Chardonnay classificados como Grand Crus (Corton, Corton-Charlemagne, Bâtard-Montrachet, Montrachet, Bienvenue-Bâtard-Montrachet, Chevalier Montrachet, Criots-Bâtard-Montrachet), e somente um tinto Pinot Noir, com apelação Corton Grand Cru. Na Côte de Beaune, encontra-se numerosos vinhos brncos e tintos classificados como Premier Cru de nomes mundialmente conhecidos: Pommard, Volnay, Meursault, Puligny-Montrachet, Blagny, Ladoix-Serrigny, Saint Aubin, etc.

Côte Chalonnaise : este vinhedo tem seu nome tirado da cidade de Chalon-sur-Saône, situada às margens do Saône, à 130km au norte de Lyon. As principais variedades de uvas da Côte Chalonnaise são Chardonnay e Pinot Noi, com algumas plantações de Aligoté na cidade de Bouzeron e também de Gamay. Os municípios de Rully, Mercurey, Givry, Montagny produzem vinhos classificados como Premier Cru, mas, atualmente, nenhum Grand Cru.

Mâcon : situado à 75km ao norte de Lyon, o vinhedo do "Mâconnais" produz vinhos tintos novos a partir de Gamay, Pinot Noir e Pinot Gris, e vinhos brancos a partir das cepas Chardonnay e Pinot Blanc. Há 42 vilas na região do Mâconnais, repartidas em 7 apelações: Mâcon, Mâcon Supérieur, Mâcon Village, Pouilly-Fuissé, Pouilly-Loché, Pouilly-Vinzelles e Saint Véran. O Pouilly-Fuissé é a apelação mais famosa do Mâconnais. Ela é um 100% chardonnay envelhecido em casco de carvalho durante, em média, um ano.


Beaujolais : Gamay e Chardonnay


Situada ao norte de Lyon, à 35km, esta região dispõe de 3 zonas bem distintas :

* A região dos Crus : situada mais ao norte, ela faz nascer 10 crus Gamay : Brouilly, Chénas, Chiroubles, Côte de Brouilly, Fleurie, Juliénas, Morgon, Moulin-à-Vent, Régnié e Saint-Amour. Cada vila possui um solo diferente produzindo vinhos Gamay que podem ser conservados durante alguns anos.

* Beaujolais Villages : situada principalmente entre Villefranche-sur-Saône e Belleville, a apelação se estende por 38 municípios e representa 25% da production de vinhos do Beaujolais. O Gamay brota aqui nos solos de granito arenoso que conferem mais encorpamento aos vinhos.

* Beaujolais des Pierres Dorées : situado a dois passos de Lyon, esta região se parece com a Toscana italiana, com suas paisagens onduladas como vales. Durante séculos, os homens extraíram a pedra local, de cor amarelada, para construir pequenas vilas rústicas, igrejas e castelos medievais. A cepa Gamay brota aqui, num solo de argila e calcário, e faz nascer vinhos tintos com muito sabor de fruto, dentre os quais o Beaujolais Nouveau e excelentes Chardonnay.



Côtes du Rhône Nord : Syrah e Viognier


Situada ao sul de Lyon, entre Vienne e Valence, a parte setentrional do vale do Rhône faz nascer apelações prestigiosas :

Condrieu, Côte Rôtie & Château Grillet : o rio Rhône escavou a terra durante milênios para desenhar um vale de revelvo escarpado e tortuoso, hoje "terroir" excepcional para as cepas Syrah e Viognier. Há 2000 anos, o homem cultiva uva nos declives vertiginosos, oferecendo-nos um espetáculo surpreendente. De cima do outeiro, o visitante se dá conta da coragem e do enorme trabalho que os vinhateiros devem desenvolver para produzir estes grandes vinhos.

Hermitage, Crozes-Hermitage, St Joseph, Cornas e Saint-Péray :
situado entre Tain-l'Hermitage e Valence, este vinhedo é conhecido desde o século XVII graças a seus célebres vinhos tintos e brancos. Segundo a lenda, o nome Hermitage viria do cavaleiro Gaspard de Sterimberg, um cruzado do século XIII. Cansado de guerrear, ele teria se refugiado no alto da colina e passado o resto de sua vida impondo a si mesmo um isolamento total. Hoje, a lenda de Hermitage continua a ser escrita através de 5 apelações de vinhos de renome mundial, cada uma com suas características únicas.



Côtes du Rhône Sud : uma tradição de assemblage


Situados à 220 km ao sul de Lyon, perto de Avignon, os vinhedos das Côtes du Rhône meridionais se beneficiam de um clima mais quente. O Grenache, o Mourvèdre e a Syrah são as principais cepas cultivadas e servirão para a elaboração por assemblage de célébres Crus das Côtes du Rhône Sud :

Gigondas, Vacqueyras e Beaumes-de-Venise : estas 3 apelações estão situadas ao pé dos famosos Dentelles de Montmirail e têm como cepa dominante o grenache noir completado pela Syrah e pelo Mourvèdre. A AOC Beaumes-de-Venise é reputada por seus vinhos brancos de deserto elaborados a partir da cepa Muscat.

Chateauneuf-du-Pape : é, provavelmente, a apelação das Côtes du Rhône mais conhecida do mundo. A origem de seu nome vem dos papas que tinham escolhido esta cidade como residência de verão deles no século XIV. Eles fizeram muito para incentivar a produção de vinho e a expansão de vinhedos. Os vinhos tintos de Chateauneuf-du-Pape podem ser elaborados com 8 cepas diferentes, e 5 para os brancos. Os solos são cobertos de grandes seixos brancos e lisos que absorvem o calor do solo de dia e aquecem as raízes das cepas de noite.

E possível encontrar outros vinhedos nos arredores de Lyon, que produzem vinhos muito bons, especialmente em Coteaux du Lyon, Bugey ou Savoie: Chignin, Cerdon, Roussette, etc.

 
 

 

DIÁRIO DICAS TOURS

Burgundy Great Vineyards

Public Tour

Beaujolais Crus

Beaujolais Golden Stones

The Original Syrah

Chateauneuf du Pape

Minibus Transfers

VIP Tours


Voltar à Página Principal